segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Viajei com: Harry Potter e a Pedra Filosofal - J. K. Rowling

Vamos começar o MÊS HP com a resenha de Harry Potter e a Pedra Filosofal. O livro foi escrito pela diva J. K. Rowling, e foi publicado em 1997 pela Editora Bloombury sobre o título de Harry Potter and the Philosopher’s Stone; sendo traduzido e publicado pela Editora Rocco, contendo 224 páginas.
Como eu conheci a série? Foi em 2002 através do filme Harry Potter e a Pedra Filosofal, quando tinha 12 anos, minha professora passou para turma, só posso dizer que eu nem piscava durante o filme: AMEI.
Em Harry Potter e a Pedra Filosofal, conhecemos Harry, garoto órfão cujos pais, Tiago e Lílian Potter, foram assassinados quando ele tinha apenas 1 ano. Após a morte dos pais, o menino é criado pelos tios, Valter e Petúnia Dursley.
Até os 10 anos, Harry é maltratado pelos tios, herdando as roupas velhas do primo gorducho, que é tão mimado quanto Harry é maltrato pelos tios. Mas tudo muda no dia de seu aniversário de 11 anos, pois ele descobre a verdadeira história da morte de seus pais e que ele na verdade pertence a um universo totalmente diferente do que ele conhece: o universo dos bruxos.
Harry que está acostumado a ser tratado como um intruso e empecilho pelos tios, descobre que é uma espécie de celebridade na comunidade bruxa, pois ele conseguiu sobreviver ao ataque que resultou na morte de seus pais e na suposta morte do bruxo das Trevas, Lord Voldemort.
Nessa comunidade mágica, as crianças ao completar 11 anos são enviadas para escola onde aprenderam a controlar seus poderes mágicos, na Grã-Bretanha e região elas são enviadas para a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. No embarque para a escola, Harry conhece Ronald Weasley e Hermione Granger, que se tornam seus melhores amigos ao longo de toda a história.
O primeiro livro tem uma pegada mais infantil que os demais, mas a história em si não é nada infantil em sua essência, pois J. K. aborda temas como: a divisão de classes seja pela condição ou nascimento, o preconceito, o confronto entre o bem e o mal, o egoísmo, a inveja; com discussões que se tornam mais profundas com o avançar da série.
Uns dos focos dos livros é o preconceito, a discriminação que alguns determinados grupos sofrem: Harry (mesmo sem saber) sofre preconceito por parte dos tios por ser filho de bruxos (e provavelmente ser um); Hermione sofre por ser nascida trouxa; Rony por ser pobre e se associar com nascido trouxas e trouxas; e temos diversos exemplos.
Bom, há poucas coisas a dizer, sem que seja spoiler, pois existem pessoas que não leram os livros – por um motivo ou por outro, resta apenas recomendar fortemente a quem não leu que leia e assista aos filmes.

Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional. Beijos e até a próxima.


Capa original da edição britânica


Nenhum comentário:

Postar um comentário