segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Viajei com: The Beauty of Darkness - Mary E. Pearson


Tudo bem com vocês??? No post de hoje irei comentar sobre o livro The Beauty of Darkness de Mary E. Pearson. Esse é o terceiro volume da trilogia As Crônicas de Amor e Ódio, composta por The Kiss of Deception e The Heart of Betrayal. Por se tratar do último volume da trilogia é lógico que haverá spoiler dos volumes anteriores.



Sinopse: A trilogia Crônicas de Amor e Ódio chega ao fim de maneira arrasadora. A história de Lia inspirou muitos leitores a embarcarem em uma jornada extraordinária repleta de ação, romance, mistérios e autoconhecimento, em um universo deslumbrante criado pela premiada escritora Mary E. Pearson, onde o poder feminino é a força motriz capaz de mudar e fazer toda a diferença no novo mundo em construção.
Lia sobreviveu a Venda, mas não foi a única. Um grande mal pretende destruir o reino de Morrighan, e somente ela pode impedi-lo. Com a guerra no horizonte, Lia não tem escolha a não ser assumir seu papel de Primeira Filha, como uma verdadeira guerreira — e líder.
Enquanto luta para chegar a Morrighan a tempo de salvar seu povo, ela precisa cuidar do seu coração e seus sentimentos conflituosos em relação a Rafe e as suspeitas contra Kaden, que a tem perseguido. Nesta conclusão de tirar o fôlego, os traidores devem ser aniquilados, sacrifícios precisam ser feitos e conflitos que pareciam insolúveis terão que ser superados enquanto o futuro de todos os reinos está por um fio e nas mãos dessa determinada e inigualável mulher.


A escrita da autora continua sensacional, a construção d mundo e dos personagens é muito legal. Mas a finalização da trilogia teve pontos positivos e pontos negativos.
Após a fuga de Venda, Lia, Rafe e seus amigos tentam chegar a Dalbrecke em segurança, para posteriormente informar Morrighan dos planos do Komizar. Devo confessar que me decepcionei um pouco com Rafe, pois ele se mostra MUITO machista, deixando Lia fora das decisões que precisam ser tomadas, mas aos poucos ele vai se redimindo, o que gostei muito, e faz sentindo, pois anos de uma cultura patriarcal, uma mulher participar das decisões e se envolver nas tramas políticas causa estranhamento, o que ter uma mente aberta pode muito bem resolver.
Empoderamento feminino na história é sensacional, as personagens femininas não são masculinizadas, possuem sua feminilidade, mas não baixam a cabeça e mostram do que são capazes, além da amizade entre elas.
Gostei muito de a trama política ter sido trabalhada, bem como a parte histórica dos três reinos, e uma mensagem clara nesse ponto é que “os vencedores escrevem a historia”, e que nem sempre o que é contado como história é a verdade dos fatos. E gostei do destino dos reinos, de como a autora deu um destino bacana para cada um.
Mas achei o começo muito enrolado e o final muito abrupto, como se ela tivesse outro livro pra continuar a história, e nas últimas 70 páginas ela percebeu que não tinha, e correu para resolver tudo.
Desde o princípio ficou claro que o livro não focaria no triângulo amoroso, que na verdade nem existe, pois a Lia nunca sentiu mais que amizade por Kaden, mas alguns detalhes ficaram de lado, como o dom.
Por exemplo, gostei do final do Kaden, embora o personagem poderia ter sido mais explorado, assim como o destino final da Lia e do Rafe. Talvez a autora volte a escrever algo nesse universo e explore mais a história desses personagens.
A batalha também não foi bem desenvolvida, foi aquela criando aquela expectativa, uma batalha gigantesca, terrível e... puft, piscou o olho e já acabou, e eu estava esperando uma batalha mais épica como em O Senhor dos Anéis ou Harry Potter.
O livro foi ruim??? De forma alguma, achei um bom fechamento de trilogia, mas que poderia ter entregado mais. É um prato bem feito, bem executado, mas não é um prato excepcional. A autora parece ser bem atenciosa com seus leitores, pois quando postei as fotos dos livros no meu Intagram ela curtiu, o que me deixou bem surpresa. Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

TOP 5 - Crush Literário



Tudo bem com vocês??? Hoje, dia 14 de fevereiro, é comemorado em várias partes do mundo o Valentine's Day, o dia mais romântico do mundo, dia de passar com quem você ama - família, amigos, namorado, namorada. E para comemorar essa data, vamos esquecer o fato de que já estou velha demais para isso, e fazer o TOP 5 dos crushes literários.


Para começar nossa lista, temos personagem da trilogia Encantados da Raiza Ravella: Ian Vitorazzi e Gustavo Bittencourt. Ambos são uns fofos, lindos e de um carisma incrível. Ao longo da leitura não consegui desvincular Ian da imagem do Thiago Fragoso da minha mente, sei que os olhos não combinam, mas...


Embora ele esteja mais para Stephen Amell.

Já Gustavo imaginei bem parecido com o Sérgio Maroni.
 
Embora falte a bendita covinha

Outro personagem apaixonante é o Finnick Odair, quando ele aparece no livro Em Chamas, não confiei muito nele, mas ele conseguiu me conquistar a cada página. VALEU Suzanne Collins por me fazer chorar horrores...




E não podia faltar um príncipe né??? E para esse posto temos o Príncipe Kai, das Crônicas Lunares. Dono de um caráter e uma força de vontade incrível, o príncipe arrebata corações, espero continuar gostando dele nos próximos volumes da série. Como não conheço muitos atores orientais dei uma pesquisado no tio Google e acho que Takeru Sato se encaixaria bem o papel, ou Masaki Okada.

Masaki Okada

Takeru Sato


E para finalizar temos Michael Tolland do livro Ponto de Impacto de Dan Brown. Tolland é um apresentador, oceanógrafo (MUITO AMOR), com sua personalidade sensível e seu humor, ele me conquistou a cada página lida, sendo o meu primeiro crush literário. E creio que Gerald Butler se encaixe bem no papel de Tolland.



Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Viaje com: The Heart of Betrayal - Mary E. Pearson


Tudo bem com vocês??? No post de hoje irei comentar sobre o segundo volume da trilogia Crônicas de Amor e Ódio, The Heart of Betrayal de Mary Pearson. Já fiz post sobre o primeiro volume dessa trilogia, The Kiss of Deception. E como se trata do segundo volume irá ter MUITOS spoiler do primeiro volume, então caso não queira spoiler não indico a leitura desse post.



O segundo volume se inicia exatamente onde termina o anterior: Lia e o príncipe Rafe estão como prisioneiros de Venda, e vão tentar se manter vivos até os amigos de Rafe conseguirem ajuda-los na fuga.
Ao longo da narrativa dos dois livros percebemos um desenvolvimento dos personagens, que ganham novas camadas e nuances, por exemplo, a Lia aprendendo a controlar sua impulsividade. Temos também o aparecimento de novos personagens, como o Komizar, o líder de Venda.
Nesse volume temos um foco maior nas questões políticas, jogo de poder, estratégia e conspiração, onde conhecemos mais de Venda e de sua história e costumes, o que apenas enriquece a história criada pela autora.
A estrutura narrativa permanece a mesma: narrativa em primeira pessoa, com diversas perspectivas; escrita fluída e bem descritiva, sem ser cansativa; linguagem tranquila, mas bonita e até poética.
Nesse volume só confirmei minha opinião de que a Lia nutre apenas carinho por Kaden, mas ama mesmo é o Rafe, e creio que eles terminaram juntos, bem ao estilo “Às vezes um homem encontra o seu destino na estrada que tomou para evitá-lo!”, ou seja, ela foi para Terravin fugindo de um casamento com Rafe, e foi lá que ela se apaixonou por ele.
Achei que teríamos um desenvolvimento maior do dom da Lia, mas essa parte não foi muito abordada no livro. Mas algo me chamou MUITO a atenção nessa trilogia é a amizade entre as mulheres, que não ficam de picuinhas sobre quem vai ficar com o “boy”, mas procuram se ajudar e se protegem.
A edição do livro continua LINDISSÍMA, e assim como no livro anterior, entre alguns capítulos há trechos das Crônicas de Morrighan e canções de Venda, que aos poucos vão nós dando um panorama da verdadeira natureza dos conflitos entre os reinos e o papel de Lia na trama.
E assim como o livro anterior, esse livro também termina em um cliffhanger que me deixou ansiosíssima pela continuação, The Beauty of Darkness, que li logo em seguida, e irá sair resenha semana que vem.

Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos a até a próxima.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

TBR - Maratona Skindô-Skindô e Folia Literária 48h


Tudo bem com vocês??? Quem me acompanha pelo Instagram já sabe que irei participar de duas Maratonas nesse feriadão. E no post de hoje irei mostrar aqui minha TBR para a maratona Skindô-Skindô organizada pela Tati Feltrin, a maratona terá início às 12h do dia 09/02 e terminará às 12h do dia 14/02. A Tati não fez nenhum desafio, apenas ler o máximo que conseguirmos durante o feriado de carnaval.
Resolvi participar também da Maratona Folia Literária 48h, organizada pelos canais: Segredos entre Amigas, Pronome Interrogativo, Book Adict, Resenhando Sonhos, Nuvem Literária e Palavras Radioativas, que irá acontecer no dia 12 e 13 de fevereiro. Nela pretendo me dedicar apenas a leitura nesses dois dias, nada de redes sociais, séries ou filmes.
Mantive os livros da minha TBR do mês:



Talvez eu pegue Toda Mafalda para dar uma aliviada nas leituras.



E se possível o terceiro volume de Bear.




E vocês??? Como irão aproveitar o feriadão de carnaval??? Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Viajei com: The Kiss of Deception - Mary E. Pearson


Tudo bem com vocês??? No post de hoje irei comentar sobre o primeiro volume da trilogia Crônicas de Amor e Ódio, o comentadíssimo The Kiss of Deception de Mary Pearson.


Nele temos a história da Lia, primeira filha e princesa de Morrighan. Nesse universo cheio de tradições e costumes, as primeiras filhas de um casal costumam ter dons, concedidos pelos deuses.
O reino de Morrighan e o reino de Dalbreck sempre tiveram uma relação instável, embora amigável, pois ambos os reinos possuem desavenças com o reino de Venda, ou como eles costumam chamar o reino dos bárbaros. Numa tentativa de unir os dois reinos, para fortalecê-los contra Venda, o pai de Lia propõe casamento entre ela e o príncipe de Dalbreck.
Irritada por ser tratada com um peão em um jogo, ela e Pauline, sua dama de companhia e amiga, decidem fugir para a cidade natal de Pauline.
É claro que o príncipe não gostou nada de ser rejeitado e vai atrás dela para conhece-la e entender toda essa situação. E Venda que não possuem interesse algum na união dos dois reinos, envia um assassino para matar Lia e acabar com união.
A autora não deixa claro no inicio quem é o assassino e quem é o príncipe, mas eu logo saquei quem era quem. O livro é narrado em primeira pessoa, mas tanto da perspectiva da Lia, como do príncipe, do assassino e de Pauline.
Gostei muito da narrativa, achei fluída e bem descritiva, sem ser cansativa, permitindo uma leitura super rápida. Achei a linguagem tranquila, já que se trata de um livro jovem adulto, mas bonita e até poética. Gostei construção da história, embora gostaria de enfoque maior nos aspectos políticos da decisão de Lia, e menos no “triângulo amoroso” que não era um triângulo amoroso. Gostei dos personagens, me identifiquei muito com a impulsividade da Lia e torci muito por Rafe, que para mim sempre foi a escolha de Lia, a edição do livro dispensa comentários, pois a Dark Side ARRASSA nas edições.
O livro termina em um cliffhanger que me deixou ansiosíssima pela continuação, The Heart of Betrayal, que li logo em seguida, e irá sair resenha semana que vem.
Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos a até a próxima.