segunda-feira, 26 de junho de 2017

Viajei com: A Bela e a Fera - Edição Pop Up (DETALHES)


Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Projeto de Leitura em Conjunto - O Conde de Monte Cristo #9


Tudo bem com vocês??? Nesse post iremos conversar sobre a 8ª Semana de Leitura em Conjunto de O Conde de Monte Cristo.
Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.



Após o enterro dos sogros, Villefort apressa a cerimônia para a assinatura do contrato de casamento entre Valentine e Franz. Mas antes que seja assinado o contrato, o sr. Noirtier revela a Franz que ele é o assassino de seu pai, e revela também detalhes do acontecido. Eu já esperava que ele fosse fazer isso, quando ele garante a Morrel que o casamento não se realizaria.
Andrea cada vez mais cai nas graças de Danglars, que quer que ele se case com sua filha. Danglars até desfaz o compromisso com Fernand, o que o irrita muito, mas a Albert é bem conveniente, já que ele não tem nenhum interesse nesse casamento, bem com a Srta. Danglars.
Durante uma visita a Monte Cristo, Albert é levado a presença de Haydée, que lhe conta como o pai, o paxá de Janina foi traído e morto por um oficial francês, mas não diz o nome desse oficial a pedido de Monte Cristo.
E é sensacional ver Dantès manipulando a situação, as pessoas, ele promove o encontro entre os personagens, faz sugestões, e ao mesmo tempo tirando o corpo fora.
Logo após essa visita, sai uma noticia no jornal que Ali Paxá de Janina foi traído por um oficial francês chamado Fernand. E isso irrita muito Albert, que associa o nome ao pai, embora que poucas pessoas o fariam, e pede uma retratação e desafia o editor, que é seu amigo, para um duelo. O amigo pede um prazo para poder investigar a informação.
Enquanto isso Morrel e Valentine estão muito feliz, já que estão apenas esperando se cumprir as formalidades para se casarem, e caso o sr. Villefort se recuse, faltam apenas 10 meses para Valentine atingir a maioridade. Mas durante uma conversa com o sr. Noirtier, uma tragédia acontece, o empregado de Noirtier é envenenado, embora o alvo fosse o patrão.
Esse envenenamento só confirma a teoria que o médico da família e amigo pessoal de Villefort de que a morte do sr. e sra. Saint-Méran foi por envenenamento também. Como única herdeira das 3 vítimas, Valentine se torna a principal suspeita. Mas o Villefort se recusa apresentar queixa contra a própria filha.
A minha suspeita recai sobre a sra. Villefort, pois ela teve uma conversa muito suspeita com Monte Cristo sobre remédios e venenos. E logo após essa conversa as mortes começaram. Como a beneficiada com os testamentos é Valentine, toda a suspeita cairia sobre ela, ainda mais que seu avô a deserdou por conta do casamento, o que aumenta mais a suspeita, pois quem não conhece os motivos desse ato, pode imaginar que ela teria ficado com raiva do avô. E aproveitou que o avô fez um novo testamento lhe deixando tudo, por sugestão da sra. Villefort, quando o casamento foi cancelado. Com Valentine sendo acusada e condenada, toda a riqueza iria para o irmão, filho do segundo casamento de Villefort.
Temos novamente a aparição de Caderousse, que se recusa receber sua “pensão” dada por Benedetto (Andrea Cavalcanti) das mãos de um empregado, o que força Benedetto ir a casa de Caderousse. Nessa visita Benedetto conta a Caderousse que suspeita que Monte Cristo seja seu pai, e para evitar escândalos o ajuda de forma anônima. Caderousse demostra um vivido interesse na casa de Monte Cristo e sua planta, que lhe é desenhada por Benedetto. Creio, como o título do próximo capítulo sugere (O Arrombamento) que Caderousse tentará a sorte invadindo a casa para roubar, já que Benedetto lhe informa que o conde irá passar um tempo em sua outra casa, ficando a casa vazia. O que pode dar muito ruim, muito ruim mesmo.
É aqui que terminamos nossa leitura da semana. E nessa próxima semana leremos da Parte V, Capítulo 5 – O arrombamento até o Capítulo 16 – ValentineEntão é isso, espero que vocês tenham gostado, beijos e até a próxima.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Viajei com: Uma longa jornada para casa - Saroo Brierly



Tudo bem com vocês??? No post de hoje quero comentar sobre o livro Uma longa jornada para casa de Saroo Brierly. Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.


SINOPSE: Aos 5 anos, Saroo pede ao irmão mais velho que o deixe acompanhá-lo à cidade onde ele passava os dias em busca de dinheiro e comida. Durante a viagem, o menino adormece. Ao despertar, confuso, se vê sozinho na estação de trem. Ele não sabe onde está o irmão, mas vê um trem parado. Imaginando que Guddu poderia estar lá dentro, Saroo embarca no vagão, e isso o faz atravessar a Índia.
Sem saber ler nem escrever, e sem ideia do nome de sua cidade natal ou do próprio sobrenome, ele é obrigado a sobreviver sozinho nas ruas de Calcutá até ser levado para uma agência de adoção e ser escolhido por um casal australiano. Os anos se passam e, ainda que se sinta extremamente agradecido pela nova oportunidade que os Brierleys lhe proporcionaram, Saroo não esquece suas origens. Até que, com o advento do Google Earth, ele tem a oportunidade de procurar pela agulha no palheiro que costumava chamar de casa, e investiga nas imagens de satélite os marcos que poderia reconhecer do pouco que se lembra de sua cidade.
Um dia, depois de muito tempo de procura, Saroo encontra o que buscava, mas o que acreditava ser o fim da jornada é apenas um novo começo.


Eu ganhei esse livro de Amigo Secreto da linda da Kátia Cristina. E me interessei pelo livro após acompanhar a premiação do Oscar, pois a adaptação foi indicada em 6 categorias, quando li a sinopse da obra achei bem interessante.
Eu gostei da leitura, achei uma experiência bem enriquecedora, conhecer um pouco mais da vida na Índia, embora seja chocante determinados pontos. Principalmente quando trazemos para a nossa realidade, e percebemos o quão próximos estamos dessa situação: na Índia é comum crianças passarem dias longe de casa, no Brasil passar dias não é comum, mas horas sim, algumas crianças passam o dia na casa do vizinho, de um conhecido e os responsáveis não se dão o trabalho de ir ver o que elas estão fazendo.
Mas nem tudo são flores, a narrativa tem alguns problemas – alguns pontos ficaram truncados, não sei se foi questão de escrita, já que Saroo não é um escritor, ou se foi questão de tradução. No final do livro temos algumas fotos de sua viagem de volta à Índia.

O livro foi adaptado para o cinema. O filme foi dirigido por Garth Davis, e foi indicado a quatro Globos de Ouro. O longa é protagonizado por Dev Patel, Jamal Malik de “Quem Quer Ser um Milionário?”; David Wenham, Faramir de “O Senhor dos Anéis”; e tem ainda Nicole Kidman e Rooney Mara no elenco.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Projeto de Leitura em Conjunto - O Conde de Monte Cristo #8


Tudo bem com vocês??? No post de hoje irei comentar sobre a 5º semana do Projeto de Leitura Compartilhada do livro O Conde de Monte Cristo.
Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.



Essa semana teve um dos capítulos mais sensacionais do livro: o jantar oferecido pelo conde de Monte Cristo, que foi realizado na casa onde Villefort foi esfaqueado por Bertuccio. Eu jurava que o filho que Villefort teve com sua amante seria filho de sua atual mulher, já que na época ele era casado com a mãe de Valentine. Qual não é minha surpresa ao descobrir que a mãe da criança é a sra. Danglars, que atualmente é amante de Debray, amigo de Albert.
Finalmente entendi a participação do rapaz que está se passando por Andrea Cavalcanti, que é na verdade Benedetto, o filho de Villefort. Será que o homem que está se passando por Major Cavalcanti terá alguma participação na história, além de fazer o papel de pai de Andrea?
O capítulo 6, intitulado O Jantar. Dantès começa a dizer que enquanto foram escavar o jardim para decorarem e encontraram uma arca com o esqueleto de uma criança. Ao ouvir isso a senhora Danglars desmaia, e o Villefort quase. E eles nem imaginam que o filho está ali.
Mas talvez Dantès não saiba que Villefort sabe que a criança não está enterrada ali, e que estava viva e sendo adotada por uma mulher que ele não conseguiu localizar, e Villefort confidencia isso a sra. Danglars, que até ali acreditava que a criança havia morrido.
Villefort busca informações sobre Monte Cristo, já que ele sabe de vários detalhes sobre o seu passado, e com quem ele busca essas informações??? Abade Busoni e Sr. Wilmore, que na verdade são disfarces de Edmond, o que eu achei muito engraçado, Dantès passando a maior mentira para Villefort.
O casamento de Danglars não vai anda bem, ele deixa bem claro que sabe dos amantes da esposa, mas desde que ela continue com bons palpites sobre os investimentos está tudo certo, e nossa como ele foi grosseiro com ela.
Achei sensacional o fato de Danglars está todo iludido em relação a Andrea, achando que ele é rico, sendo assim seria um partido melhor que Albert, mas sendo Andrea filho de Villefort com a sra. Danglars, ele é meio-irmão de Eugenie, além de ser pobre, assassino e vigarista.
Caderousse volta a aparecer, e demonstra ser bem intimo de Benedetto, o que me deixou bem curiosa quanto ao tipo de envolvimento que eles têm.
Temos também os preparativos para o casamento de Valentine e Franz. Mas o avô materno da moça vem a falecer, mas ao em vez de atrasar a cerimônia acaba por adianta-la, já que a viúva fica muito doente e quer ver a cerimônia antes falecer.
Em desespero Valentine e Morrel planejam fugir, mas na noite marcada a avó de Valentine vem a falecer, envenenada de acordo com as suspeitas do médico. Como Valentine não aparece, Morrel entra na casa as escondidas, e acaba conhecendo o senhor Noirtier, que o convence a não fugirem e esperar que ele ajudem a cancelar a cerimônia, de que forma ele não deixa claro.
É aqui que terminamos nossa leitura da semana. E nessa próxima semana leremos da Parte IV, Capítulo 17 – O jazigo da família Villefort até a Parte V, Capítulo 4 – O quarto do padeiro aposentado.

Então é isso, espero que vocês tenham gostado, beijos e até a próxima.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Viajei com: Uma história incomum sobre livros e magia - Lisa Papademetriou.



No post de hoje quero comentar com vocês sobre o livro Uma história incomum sobre livros e magia de Lisa Papademetriou.
Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.



Como já havia dito no vídeo de leituras do mês, é uma historia um pouco complicada de contar sem dar spoiler. Há história é narrada em terceira pessoa por dois pontos de vista de duas personagens diferentes:

·       Kai, uma adolescente que está passando uns dias na casa da tia-avó, Lavínia, que mora no Texas.

·       Leila, que está passando as férias no Paquistão com a família do seu pai.

Aparentemente, essas duas meninas não possuem nada em comum. Então as duas encontra um exemplar de um livro bem incomum, “O Cadáver Excêntrico”. O cadáver excêntrico é uma brincadeira de escrita que parece ser bem escrita que parece ser bem legal. Caso queira conferir as regras é só clicar no link.
É aí que a história começa a ficar interessante. O livro “O Cadáver Excêntrico” vai se escrevendo, da mesma que a brincadeira funciona, aos poucos. Com capítulos intercalados entre Leila e Kai, bem com suas próprias historias sendo intercaladas com a história de Ralph Flabbergast e Edwina Pickle e sua luta para ficarem juntos.
Gostei muito da historia e dos rumos que ela tomou, da forma como as peças do quebra-cabeça foram se juntando. Mas achei o livro curto, queria mais história, mais detalhes, sobre a família da Leila e da Kai, para que tenhamos uma maior conexão com as personagens. E claro gostaria muito de saber mais sobre Ralph Flabbergast e Edwina Pickle e sobre o desfecho da historia.

Então é isso. Espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Projeto de Leitura em Conjunto - O Conde de Monte Cristo #7


Tudo bem com vocês??? No post de hoje irei comentar sobre a 5º semana do Projeto de Leitura Compartilhada do livro O Conde de Monte Cristo.
Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.



Valetine, filha de Villefort e Maximilien, filho do sr. Morrel estão apaixonados, mas a moça está prometida a Franz, que é amigo de Albert, e filho do general Epinay, que fora assinado, na época da prisão de Dantès, por Noitier, avô da moça e pai de Villefort.
Villefort faz questão desse casamento como forma de minimizar as suspeitas que ainda pairam sobre seu pai, sem levar em consideração os sentimentos da filha, que é avessa a esse casamento. Mas Maximilien não se dá por vencido e promete buscar ajuda ao Conde de Monte Cristo, que lhe foi amigável desde que se conheceram.
A moça não coloca muitas esperanças nessa ajuda, já que o conde demonstra ser muito amigo da sra. Villefort, mas o que ela não sabe é a intenção por trás dessa suposta amizade.
Enquanto os dois amantes conversam, o conde chega a casa dos Villefort para retribuir a visita. E acaba tendo uma conversa bem estranha com a sra. Villefort sobre venenos e antídotos, o que tenho certeza não foi sem segundas intenções, já que lhe promete enviar. Talvez Dantès tenha a intenção de incrimina-la pelo envenenamento de alguém, provavelmente Valentine ou Noitier.
Após fazer amizade com Lucien Debray, um “amigo” muito próximo da sra. Danglars, Monte Cristo fica sabendo que ela arrisca muito na bolsa de valores, mas acaba ganhado muito dinheiro com isso. E percebemos que é dessa forma que se vingará de Danglars, pela riqueza.
Posteriormente, Edmond vai a um telegrafo bem afastado, e suborna o transmissor a enviar uma mensagem errada, que dá a entender que haverá guerra na Espanha, o que leva Danglars a vender todos os seus títulos espanhóis, e perder meio milhão de francos, mas no dia seguinte, quando a noticia é desmentida, as ações dobram de valor, o que eleva o prejuízo a um milhão de francos. O que é de enlouquecer qualquer um.
Mas temos dois capítulos, um onde Monte Cristo conversa com uma pessoa que se passa por Major Cavalcanti e no outro com um que se passa por Andrea Cavalcanti, o filho sequestrado do major. Tudo isso foi arquitetado por Edmond, usando disfarce, mas não consegui me atentar para a finalizada, mas creio que logo ficará clara.
Ao ser informado do casamento, por Villefort e a esposa, Noirtier não se agrada em nada da escolha do noivo, já que ele tinha sérias divergências politicas com o pai do rapaz, a ponto de mata-lo. E tentando mudar a decisão do filho, ele deserda Valentine, destinando toda sua fortuna para a caridade.
É aí que Monte Cristo faz uma segunda visita aos Villefort para reafirmar o convite ao jantar que ele oferecerá, na casa onde Villefort foi esfaqueado. Alguma coisa ele está aprontando e eu estou bem ansiosa para descobrir.
É aqui que terminamos nossa leitura da semana. E nessa próxima semana leremos da Parte IV, Capítulo 5 – Os fantasmas até o Capítulo 16– A promessa.
Logo logo começaria a preparar uma supressa para os participantes ativos da leitura. Então não deixem de comentar suas impressões da leitura da semana. Espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Viajei com: Jogador Nº 1 - Ernest Cline


Tudo bem com vocês?
No post de hoje quero conversar com vocês sobre o livro Jogador Nº 1 do Ernest Cline. Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.



O livro tem uma temática futurista, e se passa no ano de 2044. Esse mundo vem enfrentando uma grande crise energética (tanto elétrica como de combustível), e destruição ambiental, com muita poluição (da água, do ar) o que torna muito mais viável que as pessoas façam as coisas em sua própria casa, como trabalhar, estudar, fazer compras, etc.
Pensando nisso, James Halliday, um nerd aficionado pelos anos 80 (época de sua adolescência), desenvolve junto com seu amigo Og, a plataforma OASIS, que é uma plataforma de realidade virtual. A maioria das pessoas passa grande parte do seu tempo no OASIS: estudando, trabalhando, jogando e interagindo umas com as outras, assim elas economizam combustível (recurso escasso), evitam ficar muito tempo em contato com a poluição e tem mais acesso a cultura e informações.
Simplesmente achei sensacionais as aulas dentro do OASIS por diversos motivos:

·       A escola é uma zona livre de combate, não há problemas de agressão entre alunos e professores;
·       Há filtro de linguagem e de comportamento, ou seja, o professor não perde tempo de sua aula lhe dando com indisciplina;
·       As tarefas são corrigidas pelo sistema, o professor não fica sobrecarregado com atividades extraclasses, sobrando muito mais tempo para planejamento e estudo.
·       Interatividade do conteúdo, o professor pode explicar por exemplo o sistema cardiovascular levando os alunos para uma viagem dentro do coração, artérias e veias – O QUE SERIA SENSACIONAL.

Dentro do OASIS existem inúmeros mundo, seja inspirados na Terra, na Terra Média, em Hogwarts (QUERO), em Stars Wars, Star Trek, em videogame antigos, as possibilidade são infinitas. A conta é gratuita, e os acessórios principais para seu avatar também. Mas há possibilidade de se comprar carros, casas, roupas, armas, artefatos, dentro do jogo.
A história começa com a morte de Halliday, e o anúncio que seu herdeiro será que consegui encontrar um easter-egg que ele escondeu dentro do OASIS, mas para encontra-lo a pessoa deverá encontrar 3 chaves e abrir 3 portões e realizar 3 desafios para consegui encontrar esse easter-egg.
É óbvio que vira uma loucura, todo mundo procurando, inclusive, uma empresa, a IOI, que quer ganhar essa caçada para privatizar o OASIS. Mas 5 anos se passam e NINGUÉM conseguiu encontrar a primeira chave.
É aí que entrar Wade Watts, o narrador da história. Ele é um jovem órfão pobre, que mora nas Pilhas (um amontoado de trailers) junto com a tia, e está quase concluído o ensino médio. E se torna a primeira pessoa a consegui a primeira chave, reanimando assim o frenesi pela busca do easter-egg.
Gostei muito do livro, da narrativa, do desenrolar da história, das temáticas desenvolvidas: auto isolamento social, como nossa aparência bem como nosso sexo influencia em nossas oportunidades, problemas ambientais, ética, etc. E tudo isso recheado de referências nerds e geeks, a maioria ligada aos anos 80, mas se você assim como eu não viveu nos anos 80, sou de meados de 89, não se preocupe, você conseguirá acompanhar tranquilamente a leitura, pois tudo é bem ajustado.
Mas teve alguns pontos que não me agradaram, mas que não atrapalharam o andamento da leitura, nem o prazer que senti lendo o livro.

·       Achei a localização da primeira chave estava bem óbvia pela dica. E levando em consideração que a IOI tinha uma equipe de pessoas altamente capacitadas e com todo recurso ao seu dispor, o fato de demorarem 5 anos para acharem ficou um pouco forçado.
·       Em uma TREMENDA crise energética, a solução é colocar todos para estarem conectados DIA E NOITE. Não sei se seria uma solução viável.
·       Poderia ter uma explicação melhor de como o mundo chegou naquela situação, não que falasse mais do mundo real, que me parecia MUITO sem graça, muito triste, mas que explicasse melhor o que aconteceu com nosso mundo.

Como já disse, nada que atrapalhe o prazer da leitura, que é bem envolvente e divertida.
Vamos a edição do livro que está muito legal.




Numeração dos capítulos.

Páginas impares.

Páginas pares.

Divisão dentro dos capítulos.

O livro é dividido em 3 níveis.

As informações sobre o autor são hilárias.


Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Projeto de Leitura em Conjunto - O Conde de Monte Cristo #6


Tudo bem com vocês??? No post de hoje irei comentar sobre a 5º semana do Projeto de Leitura Compartilhada do livro O Conde de Monte Cristo.
Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.
Finalmente o Conde de Monte Cristo chega a casa de Albert que o apresenta aos seus amigos, que acabam se impressionando muito com a figura do conde. Entre os amigos de Albert se encontrava Maximilien Morrel, filho do sr. Morrel, ex-empregador de Edmond Dantès. Conversando com Maxilien, Dantès descobre que a filha de sr. Morrel se casou com Emmanuel, sendo ambos muito feliz.
Quando seus amigos vão embora, Albert leva o conde para apresentar seu pai e a sua mãe, Fernand e Mercedes. O que exigiu certo auto controle do Dantès. Em momento algum é mencionado o nome de Fernand, sendo sempre se referido a ele como sr. de Morcerf, mas como nós é dito que Fernand e Mercedes se casam, entendemos que se trata de Fernand.
Então temos um dos capitulo mais UOUUUUU dessa semana. Dantès pede para seu empregado, Ali, comprar uma determinada casa. E quando ele chama seu intendente, sr. Bertuccio para acompanha-lo, há muita excitação por parte de Bertuccio, e fiquei sem entender, até que temos uma explicação bem chocante.
Bertuccio vê seu irmão, que era bonapartista, ser assassinado, e quando procura Villefort para apresentar queixa, é enxotado por ele. Bertuccio se sente extremamente ofendido e injustiçado e promete vingança.
Após algum tempo sondando Villefort, Bertuccio encontra sua oportunidade, e quando Villefort está enterrando o filho que teve com sua amante, que não estava respirando, Bertuccio esfaqueia Villefort (o julgando morto) e leva a criança consigo. Quando estava longe ele consegue trazer a criança de novo a vida. E acaba criando a criança junto com sua cunhada.
A criança cresce e só torna uma pessoa desprezível e acaba matando sua mãe adotiva, junto com alguns “amigos” e fugindo depois disso. Bertuccio, em quanto procura abrigo na estalagem de Caderousse, presencia a venda do diamante que Dantès deu a Caderousse e sua esposa. Devida a forte chuva, o joalheiro passa a noite na estalagem. Caderousse acaba matando sua esposa e o joalheiro e foge com o dinheiro e com o diamante. A policia no encalço de Bertuccio (que era contrabandista) o encontra coberto de sangue e com os dois cadáveres, sendo acusado do crime.
Como havia escutado Caderousse mencionado um padre (que na verdade é Edmond), ele pede a policia que procure esse padre. Quando Dantès fica sabendo vai à prisão e ouve de Bertuccio tudo o que aconteceu. Dantès o contrata como intendente. E já dá para perceber que Edmond pretende usar esse fato contra Villefort.
Edmond está muito cruel, cínico e calculista. Percebemos isso durante a conversa que ele tem com Danglars e posteriormente com Villefort – simplesmente sensacional. Dantès procura Danglars para fazer negociação com seu banco, com intuito de mostrar o qual rico ele é.
Nenhuma atitude de Dantès é em vão, todas as ações do personagem são voltadas para sua vingança. Villefort visita o conde para agradece-lo por ter salvo sua mulher e seu filho de um acidente. A conversa que eles têm é muito incrível:

"– O que significa – disse Villefort com hesitação – que, sendo a natureza humana fraca, todo homem, de acordo com o senhor, cometeu... erros?

– Erros... ou crimes – respondeu displicentemente Monte Cristo.

– E que apenas o senhor, dentre os homens, os quais não reconhece como irmãos, foram suas palavras – replicou Villefort, com a voz ligeiramente alterada – apenas o senhor é perfeito?

– Perfeito, não – respondeu o conde –, impenetrável, só isso. Mas, se a conversa o desagrada, paremos por aqui, cavalheiro; sou tão ameaçado pela sua justiça quanto o senhor pelo meu sexto sentido.

– Não, não, cavalheiro! – pediu Villefort com veemência, provavelmente temendo dar a impressão de que recuava. Não! Com sua conversa brilhante e, quase sublime, o senhor alçou-me acima dos parâmetros triviais; não estamos mais conversando, estamos mais conversando, estamos dissertando. Ora, sabe muito bem que as vezes os catedráticos de teologia da Sorbonne, ou os filósofos em sua querelas, desferem-se verdades cruéis; suponha que estamos fazendo teologia social e filosofia teológica, e eu lhe direi esta, por mais rude que seja: meu irmão, estás incorrendo no orgulho; estás acima dos outros, mas acima do senhor está Deus.

– Acima de todos, cavalheiro! – enfatizou Monte Cristo, com uma entonação tão profunda que Villefort foi percorrido por um calafrio involuntário. – Peco por orgulho em relação aos homens, serpentes sempre prontas a se erguerem contra quem as olha de cima sem esmaga-las com o pé. Mas deposito esse orgulho perante Deus, que me tirou do nada para fazer de mim que sou."

Descobrimos um pouco mais sobre a acompanhante grega do conde, e creio que ela terá importância para história. Após o desgaste provocado pela conversa com Danglars e Villefort, Edmond decide visitar Maximilien e sua irmã, que embora não sejam ricos, vivem uma vida pacata, tranquila e feliz. E todo auto controle do conde é posto a prova com essa visita que o emociona muito, pela gratidão que a família tem pelo inglês que os salvou da ruina e o pai do suicídio (sendo esse inglês o próprio Dantès).
É aqui que terminamos nossa leitura da semana. E nessa próxima semana leremos da Parte III, Capítulo 13 – Píramo e Tisbe até a Parte IV, Capítulo – Como livrar um jardineiro dos arganazes que comem seus pêssegos.
Espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.