segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Viajei com: Por favor, cuide da mamãe - Kyung-Sook Shin PLM #8

Olá... Tudo bem com vocês??? Espero que sim. Hoje quero compartilhar com vocês minha última leitura: Por Favor, Cuide da Mamãe da autora sul-coreana Shin Kyung-sook, que representou a Coréia do Sul no PLM. O livro foi lançado em , e em 2012 foi traduzido e publicado aqui no Brasil pela editora Intrínseca com essa capa lindíssima.


A história gira em torno do desaparecimento de Park So-nyo, 69 anos, mãe de 4 filhos e o esposo moravam na aldeia onde ele cresceu. E fazia tempos que os filhos não iam até a aldeia. Pensando que era um fardo fazer duas comemorações, com dois rituais ancestrais próximos, Park So-nyo sugeriu que se reunissem apenas no aniversário do marido, um mês antes do seu.
Ao chegar a Seul para visitar os filhos e comemorar o aniversário dos dois, ela acaba se perdendo no marido em meio à multidão na plataforma da estação de metrô. O marido, que sempre andou na sua frente, durante os mais de 50 anos de casamento, simplesmente supôs que a esposa o seguia, sendo essa é a última vez em que Park é vista.
Após o seu desaparecimento os filhos e o marido começam a procura-la, visitam hospitais, necrotério, delegacias e entregam panfletos pela cidade, tentando encontra-la, mas aos poucos perceber, com grande remorso que nunca a conheceram e que a mamãe já havia desaparecido de suas vidas há muito tempo, muito antes de se perder em Seul.
O livro é curto, possui 236 páginas, e é escrito com simplicidade, ele tem um tom de DÊ VALOR ANTES QUE PERCA, sem ser pedante; é TRISTE, MUITO TRISTE mesmo, sem ser clichê, traz a máxima VALORIZE QUEM AMA, sem ser apelativa. E acabamos por descobrir que a própria Park não escapou desse mal.
O livro é dividido em 4 capítulos e um epílogo, e cada capítulo é narrado por uma pessoa: de uma filha (que é escritora), o filho mais velho (que é diretor de marketing de uma construtora), do marido e da própria mulher desaparecida, e o epílogo é narrado novamente pela filha. É a forma como a história é narrada é muito interessante, é como se sua consciência estivesse lhe contando coisa que você fez: “Para você, Mamãe era sempre Mamãe. Jamais lhe ocorrera que ela tivesse tido 3, 12 ou 20 anos de idade. Mamãe era Mamãe. Já tinha nascido Mamãe”, reforçando mais ainda o sentimento de remorso do livro.
Além disso, ficamos conhecendo um pouco mais da cultura coreana e como ela foi influenciada nos últimos anos. A escritora deu uma rápida entrevista a uma TV portuguesa, na época do lançamento do livro em Portugal, e conta um pouco mais sobre a ideia do livro, caso queira assisti é só clicar no link: vídeo.

Fica mega indicado esse livro LINDO e TRISTE. Espero que tenham gostado, beijos e até a próxima.

12 comentários:

  1. Preciso ler esse livro, tá na lista faz tempo! A sua resenha deu um empurrão, vou pegá-lo logo pra ler.
    Conheço bastante o cinema sul coreano, e este livro me lembrou bastante a sutileza de sentimentos que são abordados nos roteiros.

    Bjos

    www.clubedaquelelivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, que bom que lhe incentivei, esse livro é muito bom. Bjs.

      Excluir
  2. Me emocionei só pela resenha! Sinceramente, as pessoas só costumam dar valor depois que perdem, e isso é triste!
    Espero poder ler esse livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é muito triste. E a autora escreve de uma forma que toca o leitor sem ser apelativa. Bjs.

      Excluir
  3. Sempre vi esse lvro nas lojas virtuais e achei a capa linda, mas não sabia sobre oq era, agr com essa resenha ele ja entrou na minha lista de desejados <3 adoro esse tp de enredo emocionante

    Www.cidadedosleitores.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. </3 Após ler esse livro... Muito lindo, muito triste.

      Excluir
  5. Meu Deus, só o titulo do livro já deixa a gente triste '-'

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia esse livro,mas,agora me interessei rs :3 Já quero!
    Bj! :*
    anicessilva.blogspot.com

    ResponderExcluir