segunda-feira, 17 de julho de 2017

Viajei com: Os Colegas de Anne Frank - Theo Coster #PLM13


No post de hoje irei comentar um pouco sobre o livro Os Colegas de Anne Frank de Theo Coster.



Theo conheceu Anne no Liceu Judaico de Amsterdã. Sendo ele um sobrevivente da perseguição aos judeus, durante a II Guerra Mundial, ele era convidado a relatar suas experiências. A história foi planejada por Theo para se tornar um documentário, mostrando os seus relatos e de outros colegas de classe da época, e posteriormente foi transformada em livro.
Ele conseguiu reunir 5 colegas, sendo um deles Nanette Konig, que passou pelo campo de Bergen-Belsen, e mora em São Paulo atualmente. Nanette é autora do livro Eu Sobrevivi ao Holocausto, que quero muito ler.
No encontro que foi realizado, eles relembraram desde o as restrições impostas aos judeus, ao inicio das perseguições, e as atitudes que alguns pais tomaram para proteger a família, e o que enfrentaram no decorrer da guerra, e suas vidas pós-guerra. Sendo um dos relatos mais tocante com certeza é o de Nanette.


“- Quem passou por um campo conserva algum tipo de trauma. É difícil bloquear essa parte da mente onde estão armazenadas tais lembranças, que volta e meia acabam vindo à tona nos momentos mais bizarros. E a única coisa a fazer é tentar conviver com isso.”

“- Quando a guerra acabou, eu parecia um esqueleto. Os ossos dos quadris quase despontavam sob a pele. Quando fui pesada no sanatório pouco tempo depois de a guerra acabar, estava com 32 quilos, de maneira que antes, no campo, deveria pesar ainda menos. Como se dá com as mulheres desnutridas, também deixei de menstruar. A menstruação é parte integrante do mecanismo de reprodução humano, e nós não estávamos em condições de reproduzir o que quer que fosse. Se não me engano, só voltei a ficar menstruada outra vez aos 17 anos – demorou mais de um ano até que eu estivesse saudável outra vez e alcançasse o peso mínimo para poder conceber. Estou lhe contando esse fato para que você tenha uma ideia do estado em que eu me encontrava.”


Dos colegas que Theo conseguiu reunir, apenas Nanette passou por um campo de concentração, os demais colegas que foram enviados não sobreviveram.

Se você se interessa por esse período da história, esse é um livro que vale a pena. Mas caso você não se interesse, esse não é um livro muito indicado. Eu como me interesso, gostei muito da leitura, de ver esses relatos. Então é isso, espero que vocês tenham gostado, beijos e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário