segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Viajei com: Caixa de Pássaros - Josh Malerman


Tudo bem com vocês??? No post irei conversar com vocês sobre o livro Caixa de Pássaros de Josh Malerman. Estava pretendendo ler esse livro no ano que vem, devido ao numero de desafios que estou participando: Desafio dos Devorados de Livros; Desafio do Skoob; MLF (Balanço da Maratona); Clube de Leitura do Cerrado... UOUUU... Mas devido a GRANDE insistência do Gabriel, eu acabei adiantando a leitura para esse ano, então, se eu flopar nos desafios, a culpa será sua, tá, Gabriel???

Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.



Sinopse: Em um mundo de recursos escassos, olhos vendados e um terror persistente, encarar os próprios medos é apenas o inicio da viagem. Quatro anos depois de tudo ter começado, restaram poucos sobreviventes, incluindo Malorie e seus dois filhos pequenos. Morando numa casa abandonada próxima ao rio, ela sonha há tempos em fugir para um local onde sua família possa ficar em segurança. Mas a jornada que têm pela frente será assustadora: 32 quilômetros rio abaixo em um barco a remo, vendados, contando apenas com a inteligência de Malorie e os ouvidos treinados das crianças. Uma decisão errada e eles morrem. E ainda há alguma coisa os seguindo. Será que é um homem, um animal ou uma criatura desconhecida?


A história é narrada em 3º pessoa, mas do ponto de vista de Malorie, sendo assim, só sabemos aquilo que Malorie sabe. O tempo narrativo é intercalado entre o presente e 5 anos antes, em capítulos curtos, até que se culmina do desfecho da história, que para mim foi um pouco esperado, mas que não afetou em nada o resto da história, pois o desenrolar dela foi muito envolvente.
No passado Malorie vive com sua irmã, em Detroit, quando começam a ser noticiados casos de enlouquecimento, onde as pessoas agridem seus familiares e depois comentem suicídio, a princípio muitas pessoas tomam como sensacionalismo, mas conforme os números de casos aumentam e se espalham pelo mundo surgem diversas teorias. E uma delas, que se prova verdadeira, é que as pessoas enlouqueceram após verem algo, basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável.
No presente Malorie mora com os filhos, Garoto e Menina, e está muito mais madura, decidida, forte, e está preste a abandonar a casa com os filhos em busca de uma vida melhor.
A história é envolvente, trás um terror psicológico tão tenso, tão denso que foi difícil fazer pausas na leitura, pela ansiedade por se descobrir respostas, de saber o que vai acontecer, se for possível leia de uma tacada só.
No grupo “Devoradores de Livros”, a Jô Basso (BEIJOS) postou sua reflexão sobre a leitura, que achei MUITO interessante:



E o Marcelo Souza, fez um paralelo com o Mito da Caverna de Platão; “é exatamente isso da pessoa ter medo de arriscar, sair da sua ‘zona de conforto’. Quase sempre sua felicidade está muito próximo”. Achei os dois apontamentos bem interessantes.
O projeto gráfico do livro é muito bom. A capa é combina bem o clima sombrio do livro, e gostei muito da diagramação, que é bem confortável a leitura, cada início de capítulo possuem uma ilustração semelhante a da capa.




BEM, agora não tem como comentar sem dar spoiler, se você ainda não leu e não quer saber detalhes da história, NÃO LEIA o restante do post. Beijos.


Conversando com o Gabriel sobre o livro, ele me perguntou como eu imaginava as criaturas e o que seriam essas criaturas. Até a metade do livro eu não tinha imaginado nada com uma forma definida ou conhecida, imaginava algo meio incorpóreo, mas quando umas das colegas de Malorie menciona que as criaturas são semelhantes a lobos, logo me lembrei do Lobo Mal que aparece na Castelo Rá-Tim-Bum, que era SUPER MEDONHO.



Mas a origem dessas criaturas não tem como definir, já que o autor não nos dá nenhuma pista sobre isso, o que achei muito coerente, uma vez que até os animais são afetados e o efeito dessas criaturas é provocado até mesmo através de gravações, e não há contato verbal com essas criaturas, fica muito improvável algum avanço nas descobertas.
Talvez eles fossem E.Ts, talvez fossem alguma espécie desconhecida, talvez um ser mutante, talvez um ser manipulado geneticamente em laboratório, talvez...

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado, beijos e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário