segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Viajei com: Hobbit + O Senhor dos Anéis - J. R. R. Tolkien


Entendeu alguma coisa??? Bem, essa foi apenas uma brincadeira para dizer: “Olá, Tudo bem com vocês? No post de hoje irei comentar com vocês sobre a incrível Trilogia O Senhor dos Anéis de J. R. R. Tolkien” em élfico, uma língua criada por Tolkien para as aventuras da Terra Média.

Caso queira comprar os livros, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.


Nesse mês de outubro conclui a leitura do último livro da trilogia O Senhor dos Anéis. Podemos dizer que a saga é uma sequência do livro O Hobbit, não é necessária a leitura dele para o entendimento da trilogia, mas ela irá te ambientar melhor na história, e é claro, os fatos narrados nele é que desencadearão todo o enredo da trilogia.
O Senhor dos Anéis foi escrito entre 1937 e 1949, sendo planejado como um volume único, mas acabou sendo publicado como três volumes, entre 1954 e 1955. Cada volume é dividido em dois tomos ou "livros". Então, neste post, irei comentar sobre cada um dos quatro livros.



O Hobbit conta a história de Bilbo Bolseiro, que é “contratado” pela companhia de Thorin, escudo de carvalho, rei dos anões, que querem retomar o controle da Montanha Solitária, que foi tomada há vários anos pelo dragão Smaug. O livro foi escrito para os filhos de Tolkien, então a linguagem e a narrativa são voltadas para um público infantil. Mas mesmo aqui Tolkien é BEM descritivo, o que pode incomodar alguns leitores, a mim não incomodou, embora tenha tornado a leitura mais lenta.
A história se passa aproximadamente 60 anos antes dos eventos de O Senhor dos Anéis, e durante a viagem com a companhia dos anões, Bilbo de forma aparentemente acidental encontra o Um Anel, forjado pelo senhor do escuro, Sauron. Mas a principio nem Bilbo e nem Gandalf se dão conta que se trata do anel de Sauron.


A história de O Senhor dos Anéis ocorre num tempo e espaço imaginário, a Terceira Era da Terra Média, que é um mundo inspirado na Terra real. O primeiro volume, A Sociedade do Anel, contém um prólogo, no qual são dadas as características dos Hobbits. Não recomendo a leitura do prólogo antes de terminar de ler a trilogia, se você não quiser receber alguns spoiler.
Frodo Bolseiro é um hobbit do Condado, que recebe de seu tio Bilbo um anel de rara beleza. Gandalf, um velho amigo de Bilbo e um mago poderoso, percebe o poder que aquele anel possui, não sendo um anel comum, mas sim o Um Anel, artefato mágico forjado por Sauron, o Senhor do Escuro, e que fora perdido numa batalha muito tempo antes.
Caso Sauron recupere o anel obterá o domínio de toda a Terra Média. Atendendo um conselho de Gandalf, Bilbo deixa o Condado, e encarrega Frodo até Valfenda, casa de Elrond, senhor élfico. Em Valfenda ocorre um conselho liderado por Elrond, onde é decidido o destino do anel: destruí-lo na Montanha da Perdição. Para essa missão, de sucesso improvável, é formada a Sociedade do Anel, composta por nove companheiros: quatro hobbits (Frodo, Sam, Merry e Pippin), dois humanos (Aragorn e Boromir), um elfo (Legolas, meu crush), um anão (Gimli) e um mago (Gandalf). Frodo seria o “Portador do Anel”, aquele que deveria lançar o Anel nos fogos de Orodruin. No decorrer da história nos é apresentada a jornada da sociedade do anel na tentativa de cumprir a demanda que lhe foi incumbida.
Em resumo: A Sociedade do Anel é a apresentação, o início da jornada. As Duas Torres é a guerra, os movimentos do jogo e O Retorno do Rei é o encerramento, as consequências dos movimentos realizados.



Tolkien criou não apenas uma história, mas um universo complexo, com cronologia (ERAS), línguas, seres, regras próprias, e muito mais. Ele desenvolveu um mundo, que pode ser expandido indefinidamente. O mais próximo disso que já vi foi Harry Potter, que continua sendo minha série literária preferida. J. K. Rowling criou toda uma comunidade, e um universo expansível, com MUITA história.
Por se tratar de um universo complexo, novo e GIGANTE mapas são extremamente importantes, e o livro trás muitos mapas no final, além de apêndices com a história resumida dos anões, elfos, humanos e hobbits, com direito a árvores genealógicas.
A trilogia O Senhor dos Anéis não possui o tom infanto-juvenil presente em O Hobbit. A trilogia O Senhor dos Anéis foi adaptada para o cinema em três excelentes filmes, dirigidos por Peter Jackson, que também dirigiu os três filmes baseados em O Hobbit.
Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário