segunda-feira, 20 de março de 2017

Viajei com: Asco - Horacio Castellanos Moya #PLM11


Tudo bem com vocês??? No post de hoje quero comentar sobre o livro Asco de Horacio Castellanos Moya.

Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.



O livro faz parte do Projeto Lendo o Mundo, representando El Salvador. Horacio Moya nasceu em Honduras, mas se mudou aos quatro anos para El Salvador, onde se passa a história. O livro foi publicado primeiramente em 1997, e faz parte da coleção Outra Lingua da editora Rocco, dedicada a autores hispano-americanos.
O subtítulo do livro é Thomas Bernhard em San Salvador. Na nota, pós-escrito, Moya admite que o livro é “um exercício de estilo no qual pretendia imitar o escritor austríaco Thomas Bernhard, tanto na prosa, baseada na cadência e repetição, como na temática”. E devo confessar que a constante repetição dos fatos, me irritou, e não foi pouco. Levando em consideração o tempo gasto na leitura, e a quantidade de páginas do livro, demorei MUITO para lê-lo.
Mas do que se trata o livro? A historia do livro se passa durante uma “conversa” de bar, que está mais para monologo, entre Moya, o escritor da história e Edgardo Vega. Vega, após 18 anos morando no Canadá, retorna a San Salvador para o enterro de sua mãe. Vega, não está ali para uma ultima homenagem ou algo do tipo, está ali, pois é uma exigência de sua mãe, que em testamento determinou que para ter direito a herança, os filhos devam estar presentes em seu funeral.
O livro é narrado por Moya, uma jornalista e escritor, que depois de mais de vinte anos, reencontra seu amigo, mas Moya não tem uma única fala, ele apenas nos conta o que Vega reclamou com ele. Todo, ABSOLUTAMENTE todo o livro é um desabafo/ confissão/ jorro de reclamações e críticas por parte de Vega, tudo num folego só, sem paragrafo, ou capítulos, como se ele estivesse desesperado por “vomitar” todas as reclamações.
O título é bem sugestivo, Vega ODEIA, detesta, tem asco de San Salvador, ele não suporta nada referente à cidade e seu povo. Não tem como ter empatia por ele, ele é asqueroso. Embora seja obrigada a concordar com ele em determinados pontos, pois muitas críticas que ele faz poderia muito bem sem encaixar em VÁRIOS países latinos-americanos.
Esse é um livro incomodo, não são todos leitores que irão gostar desse livro. Devo confessar que as repetições foi o que mais me incomodou, me irritou MUITO, por isso dei 4 estrelas no SKOOB, mas o livro é bom e tem uma temática interessante. 

Gostei muito dos dois textos de apoio que estão no final do livro. Ajudam muito a compreender melhor a obra e sua estrutura. Então é isso. Espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário