segunda-feira, 11 de abril de 2016

Viajei com: O Sol é Para Todos - Harper Lee


Tudo bem com vocês??? Depois de ouvir muita propaganda da Mell Ferraz, do canal Literature-se, finalmente li o livro O Sol é Para Todos da Harper Lee, que foi lançado em 1960 com o título To Kill a Mockingbird (traduzido em Portugal para Por Favor, Não Matem a Cotovia ou Mataram a cotovia).

Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional.



O livro é narrado em primeira pessoa por Scout Finch, uma criança na faixa dos 6/8 anos de idade e se passa na década de 30. No começo da história Scout narra sua infância em Maycomb (cidade do sul dos Estados Unidos) junto com o irmão Jem e o amigo Dill. Scout e o irmão são criados pelo pai, Aticcus Finch, e a governanta Calpurnia, pois sua mãe havia falecido.
Durante os verões a brincadeira preferida das crianças era “perturbar” o vizinho chamado Boo Radley, que era uma pessoa extremamente reclusa. É importante lembrar que o romance é baseado livremente nas memórias familiares da autora, assim como em um evento ocorrido próximo a sua cidade natal em 1936, quando ela estava com 10 anos de idade e Dill é inspirado no escritor Capote, que era amigo da autora.
Atticus, pai de Scout, é retratado como uma pessoa bem culta, pois sempre esta lendo e estudando, e respeitada pelas pessoas. Quando ele é designado como advogado de Tom Robison, um rapaz negro que foi acusado injustamente de ter estuprado Mayella Ewell, uma jovem branca de uma família extremamente pobre, as coisas mudam. Por Atticus ter aceitado o caso, a sua família começa a sofrer rejeição de alguns moradores da cidade.
Nós temos todo o julgamento, os depoimentos, e o veredito... tudo pelo ponto de vista da Scout. O livro trás temas polêmicos, fortes e complexos, mas a foram como eles são tratados é “simples”, “singela” e “descomplicada” através do olhar de uma criança – e isso é INCRÍVEL...
O livro ganhou o prêmio Pulitzer e se tornou um dos maiores clássicos da literatura norte-americana moderna. Deu origem a um filme homônimo, vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado em 1962.
FICA MUITO RECOMENDADO. Espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário