quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Viajei com: A Esperança - Suzanne Collins.

Olá, hoje teremos a última resenha da Trilogia Jogos Vorazes – Suzanne Collins. O último livro foi lançado em 2010, com o titulo Mockingjay, sendo traduzido e publicado pela editora Rocco em 2011 com o título A Esperança, com 416 páginas.



A Esperança é o livro com a história mais densa, mais pesada da trilogia e em minha opinião o livro com o começo mais arrastado de todos.
A história continua sendo narrada por Katniss, que está totalmente confusa, o seu stress pós-traumático está no nível máster, e digamos que os acontecimentos seguintes não contribuem em nada para a melhora do quadro psicológico dela.
Nesse livro não temos os Jogos, pois o foco da história é a revolução e a guerra entre os revoltosos e a Capital. Posso adiantar que gostei do final, embora não seja meu final de livro favorito.
Para você que ainda não leu os livros ou não assistiu aos filmes, AVISO: a partir daqui terá spoiler dos dois primeiros livros. Poderá conter spoiler de A Esperança.


No final de Em Chamas, Katniss e outros participantes dos Jogos são resgatados pelo pessoal do Distrito 13 – ISSO MESMO, eles ainda existem, a destruição do Distrito 13 foi uma farsa sustentada pela Capital, a fim de manter os distritos amedrontados, com a possibilidade da destruição de seus lares.
O 13 é governado pela presidente Coin, e a rigidez em que os habitantes vivem lembra e muito Panem sobre o controle da Capital, a diferença é o fornecimento regular de comida.
Coin tenta convencer Katniss a se tornar o tordo da revolução, símbolo oficial que permitiria unir os demais distritos e até alguns moradores da Capital, que começam a ficar desgostosos, pois a cultura de “pão e circo” acabou, uma vez que os jogos acabaram e há falta de muitos itens provenientes dos distritos revoltosos. Após alguma persuasão ela aceita a proposta.
O interessante é que Katniss, embora se torne o símbolo da revolução, não é descrita em momento algum como a “redentora”, como se apenas ela fosse capaz de ser esse símbolo.
Ao longo do desenvolvimento da história, desde Jogos Vorazes até A Esperança, podemos ver os métodos de controle desenvolvidos pela Capital: os jogos, o isolamento dos distritos, a fragmentação da produção; e como esses métodos se mostraram ineficazes a longo prazo.
Creio que a autora quis retratar que a ditadura irá gerar rebelião, a repressão uma hora ou outra irá gerar uma revolta na população, assim como ocorreu com a escravidão, o apartheid, o nazismo, o fascismo e outros tipos de opressão (mesmo que haja um segundo interesse envolvido).
Assim como representar a utilização da população como massa de manobra, utilizada pelos governantes para atingir seus objetivos, de forma totalmente alheia a população e suas necessidades, utilizando-se da máxima “OS FINS JUSTIFICAM OS MEIOS”. Me lembrando os imperadores romanos (e outros exemplos) que sucediam um ao outro, sem a menor mudança positiva na vida daquela população, você se lembra de algo???
Katniss, assim como vários outros personagens, é manipulada como joguete desde o começo da história, pela Capital para apaziguar os distritos, e pelo Distrito 13 para incitar a revolução.
Bom nesse ponto, não consigo segurar um MEGA SPOILER, e recomendo a quem não leu e pretende ler que não continue a leitura do post.
Deixo aqui meu agradecimento. Espero que tenham gostado, peço que ajudem a divulgar o blog. 

Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional. Beijos e até a próxima.





EU AVISEI


E aqui vai o MEGA SPOILER: Katniss descobre que a ação que resultou na morte de várias crianças, que aparentemente era obra dos governantes da Capital, na verdade foi responsabilidade dos governantes do Distrito 13, isso me fez pensar: o que mais seria obra do 13??? (creio que isso também passou pela cabeça de Katniss). Coin mostrou-se tão sedenta de poder e despreocupada com a população em geral como os governantes da Capital, aumentando a lista de vilões da história.
Achei muito bom o epílogo, que mostra a Katniss tentando superar a cada passo e vencer, se recuperar a cada dia. Pois não esperava nada do estilo “e viveram felizes para sempre em um mundo cor-de-rosa e cheio de arco-íris”, o que não colaria depois de tudo que eles enfrentaram, isso seria impossível.
Novamente: espero que tenham gostado, e não custa reforçar o pedido para ajudarem a divulgar o blog. Beijos e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário