segunda-feira, 18 de maio de 2020

Viajei com: Memorial do Convento - José Saramago - #32 (143 Melhores Livros)

 

Tudo bem? No post de hoje iremos conversar sobre o livro “Memorial do Convento” de José Saramago, que foi publicado originalmente em 1982, sendo esse meu primeiro contato com o autor.

 

 

Sinopse: No epicentro desta história está a construção do Palácio Nacional de Mafra, também conhecido como Convento. O monarca absolutista D. João V, cumprindo uma promessa, ordenou que o edifício fosse erguido no início do século XVIII, em pleno processo colonial, à custa de uma imensa quantidade de ouro e diamantes vindos do Brasil, além do sangue de milhares de operários. Dentre eles, havia um certo Baltasar, da estirpe de Sete-Sóis, inválido da mão esquerda depois de uma guerra, apaixonado por Blimunda, uma jovem dotada de poderes extraordinários. Indivíduos habitualmente não observados pela dita história oficial, mas que no entanto constituem seu tecido mais delicado e essencial. Memorial do Convento - publicado pela primeira vez em 1982 - tornou o português José Saramago um nome internacionalmente aclamado da literatura contemporânea, graças à mistura entre narrativa histórica e história individual.

 


Nesse livro Saramago mescla ficção com eventos e personagens reais. Entre os personagens reais temos D. Joao V (rei de Portugal) e sua esposa D. Ana. Ambos são retratados de forma bastante sarcástica, bem como seu séquito. Enquanto o rei é retratado como libidinoso e nada genial, a rainha é retratada como beata, submissa e medrosa.

Outro personagem real retratado é o padre brasileiro Bartolomeu Lourenço de Gusmão, um visionário da ciência, que foi perseguido pela inquisição.

Mas o foco da narrativa de Saramago é o povo, que é retratado de forma singela e de forma bastante lisonjeira em todo seu sofrimento e opressão sofrida, devido a megalomania real. Para representar o povo temos o casal de personagens fictícios: Baltazar e Blimunda.

O livro é contado por um narrador onisciente, com total conhecimento sobre a história narrada, mas essa não é leitura fácil, é uma leitura que vai demandar tempo, que vai exigir do leitor, esforço esse que foi recompensado, pois curti muito a leitura, e foi uma ótima porta de entrada para a obra do autor.

Então é isso, fica aqui a indicação, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário