segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Viajei com: A Última Batalha (As Crônicas de Nárnia) - C. S. Lewis

TASH - ilustração de Pauline Baynes


OLÁ, hoje chegamos ao fim do Especial As Crônicas de Nárnia, com a resenha do livro A Última Batalha, que na edição de volume único da Martins Fontes tem 111 páginas, sendo o maior livro da série.
Alguns detalhes para nos situarmos na história:

- muitos anos se passaram após os acontecimentos narrados em A Cadeira de Prata.

- Nárnia é governada por Tirian.

- e Aslam não aparece por lá há muitos anos.

Em terras Narnianas vivia um macaco por nome Manhoso, muito velho e astuto, que tinha por “amigo” um burro, chamado Confuso (literalmente). Manhoso se aproveitava da inocência e bondade de Confuso. Um dia eles encontram uma pele de leão, e Manhoso, muito astuto, convence Confuso a vestir a pele e se passar por Aslam, e passa a usar isso a seu favor, fazendo parceria com os calormanos (sem se preocupar com as consequências de seus atos).
Toda a história se desenrola a partir desse ponto. O rei consegue pedir ajuda aos amigos de Nárnia (os antigos reis e rainhas, e humanos que visitaram Nárnia).
Por se tratarem de livros curtos, não há como falar mais sem dar spoiler. Mas confesso que o final me surpreendeu muito, de forma positiva. Simplesmente não esperava os últimos acontecimentos, que foram um tanto controversos (algumas pessoas não gostaram, outras sim).
Assim como nos demais livros da série, podemos perceber uma intertextualidade com narrativas bíblicas. Mas você que não se interessa por histórias bíblicas não se preocupe, isto não interferirá em nada na sua leitura.
Apesar de As Crônicas de Nárnia ser uma obra voltada ao público infantil, alguns temas nela tratados não são. Um dos temas mais recorrentes na obra e que mais me chamou a atenção são as consequências de nossas ações e escolhas, que podem ser boas ou más e podem interferir em nossas vidas de formas e graus variados.
Assistindo e lendo algumas resenhas sobre Nárnia, percebi que cada leitor se atentou para um tema diferente. E isso é o que eu acho fantástico na leitura – a história fala com cada leitor de uma forma diferente, única. E é isso que faz uma grande história: a sua capacidade de nos marcar.
Fica a recomendação de uma série maravilhosa. Espero que tenham gostado do especial. Peço que ajudem a divulgar o blog. Beijos e até a próxima.
PS: No final do post segue o último paragrafo do livro (muito lindo, e que não contêm spoiler), mas caso não goste de ler o final antes: NÃO LEIA.

Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional. Beijos e até a próxima.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

“E, à medida que Ele falava, já não lhes parecia mais um leão. E as coisas que começaram a acontecer a partir daquele momento eram tão lindas e grandiosas que não consigo descrevê-las. Para nós, este é o fim de todas as histórias, e podemos dizer, com absoluta certeza, que todos viveram felizes para sempre. Para eles, porém, este foi apenas o começo da verdadeira história. Toda a vida deles neste mundo e todas as suas aventuras em Nárnia haviam sido apenas a capa e a primeira página do livro. Agora, finalmente, estavam começando o Capítulo Um da Grande História que ninguém na terra jamais leu: a história que continua eternamente e na qual cada capítulo é muito melhor do que o anterior.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário